sexta-feira, 31 de julho de 2009

Férias: conduzir de chinelos ou descalço não dá multa...

Agosto é o mês que os portugueses preferem para descansar. Roupas e sapatos arejados são os mais usados em qualquer ocasião, mesmo a conduzir. E a verdade é que nem é ilegal, como se pensa.

Fim de tarde na estrada que traz os veraneantes da Costa de Caparica rumo a Lisboa. Joana circula, naquele pára-arranca típico, na via da esquerda. Chegada à artéria de acesso à Ponte 25 de Abril, Joana encosta à direita para atravessar o Tejo. Pisa o traço contínuo, é certo. É multada por uma patrulha da GNR, mas não apenas por isso. A segunda coima fê-la desembolsar 30 euros na hora. Trazia umas havaianas calçadas e isso bastou.

Joana alegou desconhecimento da lei, mas de nada lhe valeu. Nem a ela nem a muitos outros condutores que já foram multados por não terem nos pés o calçado considerado adequado por alguns militares da GNR. Mas a verdade é que actualmente não há nada que impeça de conduzir de chinelos ou até mesmo descalço. Um antigo Código da Estrada já contemplou essas infracções, mas o que está agora em vigor é omisso em relação à matéria.

Por isso, ao contrário do que se pensa, conduzir de chinelos, em troco nu ou descalço não é ilegal. É a GNR que o confirma. "Pese embora o Código da Estrada não expressar nada em concreto sobre este assunto, é uma questão de bom senso conduzir de forma a garantir o máximo de segurança", afiança o major Henrique Armindo.

O único artigo no Código da Estrada, mais abrangente, que poderia no limite ser aplicado é o n.º11, que diz: "Os condutores devem, durante a condução, abster-se de práticas e actos susceptíveis de prejudicar o exercício da condução segura." Ao que o DN apurou, ao aplicar uma multa em tais circunstâncias que se perceba que, de facto, prejudicaram a condução, o condutor será punido com uma coima que pode ir até aos 300 euros.

Além do chinelo e do pé descalço, a condução em trajes 'impróprios' (biquíni) ou em tronco nu também preocupa alguns condutores. Mas mais uma vez, a legislação é omissa. Mas uma mulher ao volante em tronco nu poderá configurar crime se, por exemplo, causar um acidente. O juiz pode considerar que se tratou de um acto exibicionista e condenar a condutora a pagar uma multa ou a cumprir um ano de prisão.

terça-feira, 28 de julho de 2009


A casa da saudade chama-se memória: é uma cabana pequenina a um canto do coração.

Coelho Neto

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Olha o belo do caracol...

Para quem é fan de caracóis e gosta de experimentar coisas novas, fica a sugestão:

Festival do Caracol Saloio

Junto ao Pavilhão Paz e Amizade - Loures
Horário:
Segunda a sexta: 17h00 – 24h00
Sábados e domingos: 16h00 – 24h00

Esta será a 10.ª edição do Festival do Caracol Saloio. Sendo já reconhecido como um grande evento gastronómico de qualidade a nível nacional, contou no ano transacto com a participação de cerca de 65 mil visitantes. Contará este ano com a presença de 12 tasquinhas, que durante 10 dias servirão os mais variados pratos, cozinhados exclusivamente com caracóis e caracoletas, tentando bater o recorde dos 11 mil quilos de gastrópodes consumidos em 2008.
Este espaço contará ainda com a já habitual animação de palco, com música ao vivo, karaoke e dança.
Contará uma vez mais com corrida de caracoletas no já famoso “Caracolódromo”.

Animação

Dia 17 Kontrafactus
Dia 18 Beto Camurça – Karaoke
Dia 19 Trio Maravilha
Dia 20 Estúdio 8 – Escola de Dança
Dia 21 Gaiteiros do Liz + Victor Sérgio e C.ª
Dia 22 Nelo
Dia 23 Espectáculo Contrabanda
Dia 24 Som Latino
Dia 25 Orquestra Contrapasso
Dia 26 Beto Camurça – Karaoke

Restaurantes:

Grelhador: Cataplana de Caracóis; Arroz de Caracóis; Feijoada de Caracol.

Churrasqueira Ideal de Loures: Caracoleta à Espanhola; Caracoleta à Brás; Caril de Caracoleta; Açorda de Caracoleta; Caracoleta à Bulhão Pato; Espetada de Caracoleta com Ananás; Rissol de Caracoleta.

Apolo 78: Caracol à Bulhão Pato; Caracol de Cebolada; Caracol à Rossini; Fussili de Caracoleta; Caracoleta à la Parisienne; Caracoleta à la S. Germain.

Café Primavera: Tortilha de Caracol; Feijoada de Caracol; Dobradinha de Caracol; Caracol à Rato; Caracoleta Cozida; Pataniscas de Caracol; Rissóis de Caracol.

Ludecénio: Arroz de Caracoleta; Chili de Caracoleta; Caracoleta à Bulhão Pato; Ímpar; Caracol de Coentrada; Pataniscas de Caracol; Feijoada de Caracol.

Riviera: Caracoleta à Riviera; Tortilha de Caracol; Açorda de Caracol.

A Lebre: Salada de Caracoleta; Espetada de Caracoleta; Caracoleta à Bulhão Pato; Caracoleta à Espanhola.

Xurrasku´s: Cebolada de Caracol; Caracóis Salteados com Migas Saloias; Rissol de Caracol; Feijoada de Caracoleta; Farinheira com Ovos e Caracóis; Quiche de Caracóis.

Salero: Caracoleta à Bulhão Pato; Salada de Caracoleta de Coentrada.

Café Estrela: Feijoada de Caracoleta; Caracoleta Mitra (À Avozinha); Rissóis de Caracoleta.

Churrasqueira Ginha: Caracoleta à Ginha; Caracoleta à Guilho.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Felicidade...


Se Eu Pudesse Trincar a Terra Toda

Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento ...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva ...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja ...

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXI"

sexta-feira, 10 de julho de 2009

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Levo-te na " Lembránsa"


lembransa - mayra andrade

quem ti viu, quem ti ve,

era um vez um coraçon,

com tcheu amore, tcheu carinho,

hoje um mero motorzinho

so para manter un vida.


(saudades muitas...)


PS. Peço desculpa pelos erros

terça-feira, 7 de julho de 2009

A cor da tua alma

Enquanto eu te beijo, o seu rumor
nos dá a árvore, que se agita ao sol de ouro
que o sol lhe dá ao fugir, fugaz tesouro
da árvore que é a árvore de meu amor.

Não é fulgor, não é ardor, não é primor
o que me dá de ti o que te adoro,
com a luz que se afasta; é o ouro, o ouro,
é o ouro feito sombra: a tua cor.

A cor de tua alma; pois teus olhos
vão-se tornando nela, e à medida
que o sol troca por seus rubros seus ouros,
e tu te fazes pálida e fundida,
sai o ouro feito tu de teus dois olhos
que me são paz, fé, sol: a minha vida!

Juan Ramón Jiménez, in "Ríos que se Van"
Tradução de José Bento

quinta-feira, 2 de julho de 2009